cidade ‘texto-virtual’

26 01 2011

“Each person constructs his/her image of the city. This image is made out of facts, memories, experiences, stories, news – mostly invisible data, and not only of architecture, buildings and streets.”

Juliana Yamashita

©ialves2011

“Cidade Texto-virtual” | Construção tridimensional articulada com informação web de determinada empresa ou serviço localizada do nó da Areosa.

Anúncios




A bordo da cidade alternativa

25 01 2011

“Travelling through these cities of words is consequently a journey of reading; choosing the path one takes is a choice of texts as well as their spontaneous juxtapositions and conjunctions of meaning.”

The Legible City, Jeffrey Shaw

©ialves2011
“Cidade Textual” | Subversão da hiperlinguagem e consequente alteração da morfologia do lugar.




||node||

24 01 2011

” ‎as if i was lost and someone suddenly came to give me news about myself  “

Claire Bishop





Inquietações

21 01 2011

Um interesse demarcado nas formas como o indivíduo e as comunidades são levadas a apropriar-se do espaço público, nos constrangimentos que são impostos, sendo estes materiais ou cognitivos, determinam a orientação do presente trabalho.

A forma como a cidade cresceu e como se apresenta hoje; a mutação das paisagens e ocupação do território são marca de novas superfícies compostas por grandes retalhos complexos de designação espectante, mas que porém constituem espaço de troca de informação e fluxos. Um novo espaço público, caracterizado por novas necessidades e conjugação com as tecnologias a que hoje temos acesso, resultam em territórios “hiper textuais”.

O crescimento da cidade e as diferentes teorias desenvolvidas com a emersão da sociedade pós-moderna é aqui testada e revisitada através de uma caso de estudo que por mutação se vai adaptando a determinados nódulos da estrada centenária que delimita a cidade do Porto.

Que espaços públicos são estes, – aqueles que rapidamente emergiram, adaptando-se às necessidades que se impuseram, – que formas são estas, as de apropriação destes territórios – e, fundamentalmente, qual o seu futuro…?

Buscando um contributo balanceado entre a arte, a arquitectura e todas aquelas ciências de génese social, não para a resolução, mas para a “retaliação” de territórios hoje de costas voltadas, ou simplesmente fechados sobre si mesmo.

Palavras Chave:

1) Paisagem – Não Lugar  – Metrópole

2) Textual – Velocidade – Fluxos

3) Marginal – Comunidade – Periférico

4) Abrigo – (in)Segurança – Protecção